terça-feira, 30 de abril de 2013

Mais fornecedores

Vamos ver se hoje consigo terminar a lista de fornecedores!

Músicos da cerimônia

Eu fiz questão de ter música ao vivo para a cerimônia. Claro que eu poderia ter colocado um som para tocar versões das minhas músicas preferidas, mas pra mim não tem comparação! Sou apaixonada pelo som de cellos e violinos, e ao vivo a emoção é indescritível.
Escolhi a Violinarte e esse também foi um contrato de sucesso! O preço é justo, os profissionais são ótimos e o mais legal é que eles tocam o que a gente quiser. Clássicos, mpb, gospel, rock n'roll, qualquer coisa. O que não faz parte do repertório deles, não tem problema, eles aprendem. Cheguei a pegar orçamento numa outra empresa, com um tal maestro. Além do preço dele ser mais alto, se eu escolhesse uma música que não fizesse parte do repertório brega dele, teria que pagar uma fortuna para ele escrever a partitura... Isso sabendo que muito provavelmente ele deve saber onde conseguir isso online, e me cobraria só pela minha cara de trouxa. 
Fiquei muito satisfeita com o trabalho da Violinarte! Contratei um violino, um cello e um teclado. Eles também providenciaram todo o equipamento de som, inclusive microfone para o celebrante. As minhas músicas não foram muito convencionais (postei a lista aqui), e eles tocaram todas sem qualquer problema.
Veredicto: APROVADÍSSIMO!

DJ

Minha maior tristeza e, de certa forma, meu maior arrependimento, foi não ter contratado a banda que eu queria. Digo "de certa forma" porque não deixei de contratar a banda por falta de vontade, mas de grana mesmo. De qualquer forma, hoje eu penso que valia a pena ter entrado no limite do cheque especial, emprestado grana, dado algum jeito. Eu merecia... :(
E acredito que talvez essa tristeza não fosse tão grande se o DJ tivesse feito o que eu esperava dele. O DJ que contratamos não é ruim. Aliás, ele é super bem recomendado pelo meu cerimonial, em quem eu confio muito. Mas não fiquei feliz com o trabalho dele.
Primeiro, porque ele é a pessoa mais distraída da face da Terra. Foi um sacrifício para conseguirmos pagá-lo, porque passei meses pedindo, por telefone e e-mail, o número da conta dele. Quando finalmente me respondeu um e-mail, mandou só o nome e o CPF, sem nenhum dado bancário. Acho que se nós nunca o tivéssemos pagado (sim, é assim que escreve, e não "pago") ele não teria percebido até hoje.
Ele me disse que eu não precisava passar uma lista das músicas que eu queria que ele tocasse, apenas as dos momentos principais (entrada dos noivos no salão, corte do bolo, brinde, dança dos noivos, jogar o bouquet), e as proibidas. Além disso, eu devia dizer o estilo de música que eu queria, que ele, como profissional, saberia sentir a pista e fazer sua mágica. Eu acreditei nisso.
Mas o que de fato ocorreu foi: no dia do casamento, ele avisou meu cerimonial que havia esquecido o arquivo com a dança dos noivos (que enviei para ele) e a lista das músicas dos momentos acima citados. Graças a Deus eu havia levado um pen drive com todos esses arquivos. Eu passei uma lista de músicas que eu queria que tocassem na festa, ele não tocou nenhuma, exceto as que eu mandei alguém pedir. Queria muita coisa dos anos 80, mas a ÚNICA música no estilo que ele lembrou de tocar foi Sandra Rosa Madalena, do Sidney Magal.
Como se não bastasse isso tudo para minha frustração, na hora da nossa dança, coreografada e ensaiada ao longo de meses, ele colocou dois arquivos para tocar ao mesmo tempo... Os convidados nem notaram, acharam que era algum tipo de mixagem estranha, mas Mr. Guerra e eu logicamente percebemos e aquilo nos atrapalhou bastante a concentração. Fiquei nervosa, não sabia se continuava dançando ou parava tudo para avisar o DJ da m... que ele estava fazendo. Somente depois de uns 20 segundos de música ele percebeu e desligou a segunda música (felizmente desligou a certa).
Diante de tudo isso, eu não indico o meu DJ. Se a sua festa for como a maioria, que toca de tudo, especialmente os sertanejos e pops do momento, tudo bem. Mas se você gosta de um estilo mais específico e tem restrições quanto a determinados estilos, vale sim a pena gastar um pouco mais nesse item, contratando um DJ que seja "o cara" e/ou a banda que você curte.
Como de costume, eu não passo nome de quem não indico, mas se você estiver preocupada com a possibilidade de ter escolhido o DJ que eu não gostei, é só me perguntar que eu respondo.
Veredicto: REPROVADO.

Open bar

Esse foi mais um item muito legal da festa. Na maior parte dos casamentos, a bebida é só aquela servida pelos garçons. Como meu casamento foi de dia, eu fiquei com receio de fazer dessa maneira, estimulando os convidados a ficarem só sentados nas mesas, deixando a festa desanimada. 
Com o bar servindo caipirinhas de frutas variadas, mojitos e outros drinks (alcoólicos ou não), mesmo que o povo não ficasse na pista, acabava se animando a levantar da cadeira, formar rodinhas no lounge, no terraço, bater papo. 
Escolhi a MKG, super bem recomendada por todo mundo que conhece. Conhecemos cada maluco nessa área que vocês não imaginam... Teve um doido que disse que ele, o bartender pirofágico, seria a grande atração do MEU casamento. Isso que, desde o início, eu deixava claro que não queria pirofagia, malabarismo e o escambau, eu queria bebida boa e gelada. Só. Mas essa parte já era mais difícil: a MKG foi a única empresa consultada que se comprometia a levar o gelo mineral. Os demais, todos, diziam que isso era por minha conta. Pense num noiva acordando às 6h da manhã de domingo e, antes de passar a check-list uma última vez e ir para a chácara se arrumar, teria que dar uma passadinha no posto de gasolina pra comprar sacos de gelo. Piada, né? Teve um mais humorista ainda, que disse que era muito difícil para ele assegurar que as frutas estariam frescas no domingo, então ele preferia não se comprometer com essa parte. Ele me cobraria somente o serviço, e eu providenciaria as frutas e bebidas. Claro, por que não? Uma passadinha no Ceasa antes do casório, coisa simples. 
A MKG providenciou tudo, fez os drinks que eu pedi e mais alguns extras, cobrou um preço justo e foram além. Mesmo sem fazer parte do contrato deles, levaram parte das bebidas que comprei (cervejas long neck). Entreguei os paper straws (canudinhos de papel) comprados nos USA e eles usaram, personalizaram o cardápio com nossa foto, montaram o bar do jeitinho que eu queria e, sim, os drinks estavam saborosos e gelados! 
Veredicto: APROVADÍSSIMO!

Locação de mobiliário

Meu mobiliário e acessórios da decoração vieram de várias fontes diferentes. Muitas coisas eu mesma comprei (falo disso num próximo post). Alguns itens, como as gaiolas maravilhosas e a plaquinha com o nome dos noivos vieram da Madera Eventos, que dispõe de muitas opções de móveis em madeira de demolição e objetos de decoração maravilhosos para locação. A única razão pela qual eu não utilizei exclusivamente os móveis da Madera foi o fato de que a Aburá oferece várias opções de móveis para locação, e como não teria que pagar o frete, acabou saindo bem mais em conta.
Os bancos para a cerimônia da área externa da Aburá já são incluídos no contrato de locação do espaço. Eles foram uma das principais razões para fechar contrato com a Aburá, como já expliquei lá no início, no post sobre a escolha do local. Aluguei então os móveis para o lounge (fora um sofá que é cortesia), como sofá, pufes, aparadores, mesa de centro, além das mesas do buffet (a Aburá tem uma opção de mesa que é cortesia, mas é bem feia e precisa ser usada com toalha, então preferi alugar mesas mais bonitas, valorizando o buffet) e do bolo. 
Também aluguei da Aburá as plantas grandes (buchinhos, ficus, palmeirinhas) para o salão. Os demais móveis, como o aparador usado pelo celebrante na cerimônia, foram da própria empresa de decoração, a Imediatta. Se você for casar na Aburá, vale a pena alugar os móveis deles, porque não precisa pagar frete e sai bem mais barato. Também vale a pena negociar: eu chorei bastante e consegui um descontão no pacote. Eles também alugam os móveis para eventos em outros locais, mas se os móveis que você escolheu não estiverem locados na sua data, eles estarão lá, disponíveis, e naturalmente a Aburá não vai querer perder negócio. Por isso a choradinha vale a pena. ;)
Veredicto: APROVADÍSSIMOS
Madera Eventos:
Imediatta Decorações:
Aburá Ambientação:

Acho que com isso encerramos o capítulo de serviços contratados... Falta ainda a parte das compras. Conto outra hora porque, sabe como é, não fiquei rica AINDA, e o trabalho me chama!

Beijinhos!

3 comentários:

Luh disse...

Por falta de grana,também não poderei contratar uma banda,e esse é meu medo,sou evangélica,e não quero música de duplo sentido ( o que tá difícil nos dias de hj rs),e morro de medo do dj tocar essas músicas.
Vou passar a play list,mais com certeza irei prevenida.

Bjos

Luh disse...

Por falta de grana,também não poderei contratar uma banda,e esse é meu medo,sou evangélica,e não quero música de duplo sentido ( o que tá difícil nos dias de hj rs),e morro de medo do dj tocar essas músicas.
Vou passar a play list,mais com certeza irei prevenida.

Bjos

Oksana disse...

Luh, nesse sentido acho que você não precisa se preocupar... A única coisa que meu DJ respeitou de fato foi a minha lista de proibidas, rs...
Faça uma listinha bem detalhada mesmo, não confie em apenas descrever os estilos que te desagradam. Você pode vetar pura e simplesmente o funk, mas se o que te incomoda são letras que considera inadequadas, especifique, por exemplo, que não quer Tchu e tcha, ou Tchetchererê, Ai ai, do-do-do-do-doce e outras onomatopeias transformadas em músicas irritantes, rs. :)